17.4.13

Fé na vida

"Ouse, ouse tudo!
Seja na vida o que você é,
aconteça o que acontecer.
Não defenda nenhum princípio,
mas algo de bem mais maravilhoso:
algo que está em nós
e que queima como o fogo da vida!!!"

Lou Andreas Salomé




Conheço e convivo diariamente com mulheres que amo e admiro. Essas mulheres que muitas vezes são esquecidas enquanto seres humanos, são desrespeitadas em seus sonhos, em seus direitos, em seu corpo... essas mulheres tem uma "estranha mania de ter fé na vida", de acreditarem que serão (mais) felizes.

___________________________



Eu não sei de onde cada uma tirou essa ideia. De onde alguém, que não tem os mesmos direitos que outros seres humanos tem, pode ter tirado a ideia de que é gente, gente igual à qualquer outra pessoa?! Eu não sei.

Eu não sei como uma mulher pode acreditar que é permitido à ela conhecer outros homens e, pasmem, fazer sexo com eles?! Como uma mulher que só teve contato físico com um único homem em toda sua vida pode deixar que um pensamento imundo como esse passe na sua cabeça?!?!?

Como podem acreditar que, durante a gravidez terão carinho, cuidado e atenção? Afinal, todas vocês aprenderam como se virar nesse período, foram educadas desde cedo para serem mães... lembram da primeira boneca?

Como uma mulher pode acreditar que seus parceiros devem se preocupar com seu bem estar emocional?

Como uma mulher pode se incomodar com o fato de seu homem fazer sexo com ela chamando-a por outro nome? Afinal ela DEVE ser compreensiva, ele é sonambulo, tadinho!

Como uma mulher pode não ser companheira ao ponto de questionar seu parceiro por ele pedir demissão do emprego e ficar coçando o saco o dia inteiro em casa enquanto ela trabalha como uma condenada?!

Como uma mulher não entende que as traições e infidelidades são coisas normais, que "acontecem" e negar que ela tenha culpa também, até porque é sempre culpa da mulher o desinteresse do parceiro, não é mesmo?!

Como pode uma mulher desrespeitar tanto a sociedade à ponto de querer falar  sobre aborto, já que todos os dias as mulheres fazem esse procedimento de forma ilegal e insegura, já que tantas morrem à míngua, sangrando... Afinal, sempre foi assim, porque mexer no que está quieto?!

Como uma mulher pode questionar o sistema sócio-econômico em que vive e querer o absurdo de "dividir tarefas domésticas"?

E, pior, como podem pensar que o corpo é delas?

Não é, mulheres. O corpo de vocês PERTENCE à sociedade em que estão inseridas, vocês são meras reprodutoras e, como boas vacas leiteiras, DEVEM ser belas, jovens, saudáveis, dóceis e compreensivas. Nada neste mundo é de vocês...


___________________________


Eu não me calo.
Eu não me entrego.
Eu não me canso de ter fé na vida...
Eu choro, eu sofro, eu não entendo. Eu me comovo, eu sangro, eu me curo.
Eu não me adapto.
Eu sinto a dor que há em cada uma delas, porque também sou uma delas, porque já me mandaram calar a boca, já me bateram, me agrediram, já me pintaram de vítima...
Eu disse: Chega!





Serei feliz, nem que seja comigo mesma.
Sou mulher e continuarei lutando pelo que acredito, sem medos, sem mentiras, com coragem e força. Em mim  carrego toda a Humanidade, em mim há toda a força necessária para vencer e seguir em frente.





___________________________


Às mulheres que conheço, que convivo, sei do tamanho de sua força e da garra que há em suas almas. À vocês, todo meu respeito e admiração...
Muita força e fé na vida, cada dia é um dia novo, um novo REcomeço. 

Recomeçaremos sempre, enquanto o caminho que estivermos não for o que quisermos, enquanto nos for imposto um modo de viver que não nos faça feliz, REcomeçar será a regra.






"Ouse, ouse... ouse tudo!
Não tenha necessidade de nada!
Não tente adequar sua vida a modelos,
nem queira você mesmo
ser um modelo para ninguém.
Acredite: a vida lhe dará poucos presentes. 
Se você quer uma vida, 
aprenda... a roubá-la!"

Lou Andreas Salomé


1.4.13

Deu, doeu, passou.



Deu...
Doeu...
Passou...

um amor em mim
como sempre
... foi e voltou

um medo da morte
como eu nunca vi
... de repente

uma esperança
como dor forte
... o ar de criança

uma vontade de fugir
como se não fosse aqui
 ... doeu, mas passou.